Menu Suspenso

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Uma Verdade Oculta?

Para começar com o pé direito, vamos explicar a origem do nome Hebreu Negro.


Não deixe de ler a seção: "Quem Somos!" (no link:"Sobre").

Com o blog pretendemos introduzir um assunto pouco conhecido pela maioria dos brasileiros e que traz à tona uma teoria que diz que os antigos hebreus e o próprio Jesus Cristo eram pessoas de linhagem mais africana do que ariana. 

Se tal teoria for realmente verdadeira (no sentido bíblico), tornar-se-ia uma questão de honra torná-la pública, caso se pretenda moralizar o mundo religioso, a muito caracterizado pela hipocrisia, ambiguidade e até mesmo pelo racismo. Note que alguns religiosos resolveram empurrar em nossa goela abaixo, a absurda conversa de que os africanos seriam negros porque estariam sob a maldição lançada por Noé ao filho de Cam, o tal Canaã, algo similar ao que acontecera com Caim). 

Até quando vamos silenciar face ao racismo?
                                  
De fato, o tema é bastante controverso, entretanto, não podemos acreditar em tudo que nos dizem, abrindo mão de nossa liberdade de questionar. 

Enfim, vamos começar o debate, a fim de conhecer a verdade?

Pois não existe nada escondido, que não venha a ser revelado ou oculto, que não venha a ser conhecido. Lucas 12:2.

Como a teoria diz que os antigos hebreus eram provenientes de vários povos, incluindo os africanos, com base em versões de alguns estudiosos das santas escrituras e de cientistas da atualidade, os "israelitas" modernos (brancos) deveriam aceitar com maior facilidade os judeus africanos que recentemente migraram para Israel.

Minha visão pessoal como estudante de cabalá, também diz que os judeus não eram iguais ao que a eugenia europeia ariana acostumou-se à retratar, ou seja, pessoas de pela branca, e sim, algumas delas teriam características bem africanas, afinal, Israel nasceu de vários povos:

Cabalisticamente falando, judeus não são uma raça ou nacionalidade, na verdade. Os primeiros judeus teriam sido uma “multidão mista”, de vários povos de países diferentes, presentes na antiga Babilônia (5% mais precisamente). E quanto aos outros 95% dos residentes da antiga Babilônia? Eu não sei, só sei que eles teriam se dispersado em todo o mundo. Com a destruição do Primeiro e Segundo Templos, somado ao exílio desses 5%, o que ocorreu? Você sabe? Todos se misturaram entre as nações do mundo (e isso tinha de ocorrer exatamente assim). Lembremos então, que judeu é um termo muito antigo descrito na cabalá, muito anterior a todas as religiões. E na cabalá, a palavra judeu faz referência a alguém que passa do nosso mundo concreto para o mundo superior (enfatizemos que, a cabalá que cito - a autêntica - não é religião, nem misticismo, ela é ciência pura). Então, a palavra “judeu – Yehudi”, em hebraico, viria de “Yihud – unidade”. Seria uma pessoa que aspira à unidade. E Israel (Yashar El é alguém que é dirigido ao Criador ("direto ao Criador"). A cabalá cita portanto, que judeu seria todo aquele que se une acima de todas as diferenças e do ódio, em busca de conexão com o criador (harmonia com a natureza). Logicamente, que há mais nuances nesta história que opto por não citar ainda, para não complicar sua vida. Aliás, eu ainda estou estudando o tema e não sou uma especialista. Por fim, deixo ao querido leitor a missão de tirar a sua própria conclusão do assunto.


Em algum ponto possivelmente, você retruque comigo: "Por que saber a cor da pele daqueles hebreus é importante? Tanto faz se Jesus era isso ou assado...


Ocorreu, meus amigos, que para os religiosos, o fato de Jesus ter sido realmente africano,  tem impacto, porque nos traz uma oportunidade histórica de findar com o racismo, que insiste em existir em pleno século XXI. 

Eu concordo que Deus não faz acepção de pessoas, e ele não tem forma, mas, o problema é que ainda existem religiões cuja doutrinas estão fundamentadas erroneamente em interpretações distorcidas das sagradas escrituras, pregando que a marca de Caim seria a pele com maior presença de melanina. Coisa mais sem pé nem cabeça!

Cabalisticamente falando, essa discussão nem devia existir porque, cada texto sagrado tem um significado profundo, oculto, bem diferente do que as pessoas costumam pregar ou seja, Egito e Israel são sagrados, porque simbolizariam....(melhor não detalhar aqui). Resumindo: nada nestes textos é literal, porque tudo tem um significado muito profundo que essas religiões sequer cogitam.

Te convido então, meus amigos, à conhecer teoria do "Jesus africano", usufruir da história de outros personagens importantes do mundo afro em geral e combater comigo o racismo.

O futuro da humanidade depende disso.

Você aceita vir comigo nessa jornada?

Finalizo com uma saudação: Afro Axé! 


Que a verdade seja revelada, as diferenças se dissolvam e a humanidade alcance o amor verdadeiro.

                                                  E conhecereis a verdade e a ela vos libertará. João 8:32.


Adriana Souto.



Nenhum comentário:

Postar um comentário