Menu Suspenso

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Personalidades Negras de Sucesso

Ola Orekunrin
  
 
 
Você deve ter visto, em algumas seções deste blog, exemplos de grandes personalidades negras, que fizeram história, que brilharam no mundo, apesar do racismo manifestar imensa crueldade.
 
E sabemos também que, além de uma genialidade ímpar, essas pessoas tinham/tem algo em comum: a pele negra.
 
Comentamos sobre Carolina de Jesus (a escritora, que o Brasil esqueceu).
 
Falamos de Marcus Garvey, o empresário desbravador, comunicador africano, e ativista do movimento negro.
 
Citamos Carlos Moore, escritor cubano, residente no Brasil, que em 14 de outubro de 2014, lamentavelmente, foi agredido verbalmente, ao participar de um evento, na UFRJ. Na ocasião se discutia o racismo presente na obra de Marx e Engles, conforme descrito em um de seus livros : "O Marxismo e a Questão Racial". Vale lembrar que, Carlos Moore conviveu com grandes líderes negros, a exemplo de Malcolm X, Cheik Anta Diop (ambos citados neste blog) e Aimé Césaire.
 
Dito isso, separamos esta seção, para citar uma pessoa de nosso tempo, que merece uma salva de palmas, por se destacar numa área do conhecimento humano tão importante, que é a medicina.
 
Ao percorrer o Facebook, na página - Invenções do Povo Negro - me chamou a atenção essa mulher, que é um exemplo de sucesso e competência. 
 
Trata-se da pessoa mais jovem a tornar-se Doutora, na Inglaterra. E é uma mulher negra.

Falamos da médica Ola Orekunrin.
 
 
O nome desta mulher é Ola, que significa "riqueza", em Yoruba. Nome muito apropriado, para alguém que, alcançou sucesso no mundo empresarial.
 
Ela é uma profissional afamada por ter obtido uma ascensão meteórica, no campo dos estudos médicos. Com apenas 21 anos de idade, Ola de formou em medicina, na Inglaterra. Depois foi para o Japão, onde realizou uma pesquisa no campo da medicina regenerativa.
 
Mas, foi um acontecimento trágico, que evidenciou, ainda mais, a competência e sensibilidade desta mulher. Um elemento que funcionou como catalisador, capaz de levar a jovem médica, à tomar uma decisão importante, em sua carreira.
 
Sua irmã de 12 anos de idade, que tinha anemia falciforme, passou mal, enquanto visitava a família, na Nigéria. O hospital mais próximo não tinha estrutura para tratá-la, adequadamente, de modo que Ola e sua família tentaram encontrar um serviço de ambulância aérea, que pudesse transportá-la, de forma rápida e segura, para uma unidade de saúde estruturada. Mas, o serviço de resgate aéreo, mais próximo, ficava na África do Sul. Isso evidenciou um contraste tremendo entre o que ela experimentou ao crescer na Inglaterra, e o que ela viu agora na terra natal de sua família.
 
E o que ocorreu então? A irmã de Ola morreu, antes do serviço de emergência, Sul-Africano, chegar. A demora em receber atendimento foi o fator que determinou o destino fatídico desta criança, porque a recuperação de sua saúde era simples.
 
Sobre a morte de sua irmã, Ola afirma: "Foi um momento devastador para nós, e eu comecei a pensar se eu deveria estar na Inglaterra falando sobre saúde, na África, ou eu deveria estar na África lidando com cuidados de saúde, e tentando fazer algo sobre isso.”
 
Ola transformou essa tragédia, que partiu seu coração, em paixão e dedicação. Depois de trabalhar por dez anos, no serviço de saúde da Grã-Bretanha, ela deixou o emprego, deixou suas aspirações de ser presidente da Associação Médica Britânica; vendeu seu carro e sua casa, comprou uma passagem somente de ida, e foi lidar com os problemas enfrentados pelo sistema de saúde Africano. Ola acredita que, o povo africano pode fazer muito por si, sem precisar da interferência de governos ou agências externas. Ela afirmou ainda: "Eu só acho que nós precisamos de começar a pensar fora da caixa, e ser mais confiantes, quanto ao potencial africano, de inovação." Com uma formação médica adequada, Ola fundou o primeiro serviço médico de emergência aérea de Lagos, na Nigéria.
 
Em seus primeiros três anos, esse serviço transportou cerca de 500 pacientes feridos e em estado crítico, de áreas remotas, para hospitais, usando uma frota de mais de 20 aviões e helicópteros. O objetivo da Ola, de facilitar o transporte de pessoas em estado crítico, para o atendimento médico adequado, em tempo hábil, de evitar a morte e maiores sequelas, tem sido atingido. Sua determinação, coragem e paixão, em ajudar a empresa à alcançar os seus objetivos, levou a jovem mulher, a um lugar onde ela é necessária, respeitada e admirada, por inúmeros profissionais médicos. Trauma e lesões são uma epidemia silenciosa na África, que tem a maior taxa de mortes, no trânsito, apesar de ter o menor número de veículos motorizados. E a empresa de Ola está ajudando à solucionar o problema.
 
Ola frisou que, "80% do trauma mundo ocorre em países de renda baixa-média, como na Nigéria. Eu sinto que, deveria haver mais foco, sobre a epidemia de trauma, que a África enfrenta, atualmente. A empresa ajuda ainda, mães grávidas que sofrem complicações, de modo que tenham acesso a um médico, devidamente qualificado, em tempo suficiente, para salvar tanto a vida da mãe, quanto do bebê”.
 
Ao descrever a infraestrutura de cuidados médicos, da Nigéria, Ola afirmou: "Houve uma situação na Nigéria, onde havia apenas dois ou três excelentes hospitais, e estes estavam, por vezes, a dois, três, ou quatro dias de viagem, do lugar onde aconteciam os incidentes. E em tempos recentes, não havia um sistema coordenado, para mover as pessoas do ambiente crítico, a um hospital, para receber tratamento. "

Ola e sua empresa teve de enfretar inúmeras questões, entre elas, encontrar uma maneira de manter os custos baixos, apesar do negócio na aviação ser extremamente caro na Nigéria.
 
Sobre a realizações de sua empresa, Ola afirma: "... temos orgulho em ser a primeira empresa na nigeriana a fazer isso, e estamos treinando mais pessoas ... "
 
A empresa ganhou uma infinidade de prêmios e elogios, incluindo o fato de  Ola ser reconhecida pelo prestigioso Fórum Econômico Mundial, em 2013, na classe de Jovens Líderes Globais. Ela é membro da Academia Americana de Cirurgiões Estéticos e da Associação Médica Britânica. Ola diz que sua missão na aviação médica é estabelecer as bases para iniciar uma revolução em saúde na África Ocidental.
 
Os objetivos futuros de Ola incluem a melhoria do acesso ao tratamento em saúde... Ela diz: "" Eu realmente amo África e a Nigéria, em particular, porque faz parte da minha identidade. Eu já percebi que, quanto mais cedo eu me re-integrar às minhas raízes, é melhor para mim. Eu cresci em um ambiente de gente branca e fui para uma universidade toda repleta de gente branca. Para ser honesta, até mudar para Lagos, eu nunca havia pensado que os nigerianos eram capazes de fazer ou alcançar alguma coisa por conta própria.
 

Uma salva de palmas para esta incrível mulher!
 


Fontes:

Sobre Carlos Moore e a agressão sofrida durante um seminário na UERJ. Veja em:

Invenções do Povo negro. Disponível em:
 
April. V. Taylor. Twenty-One Year Old Foster Child Becomes Youngest Qualified Doctor In UK, Makes Forbes 30 Under 30. Disponível em:

Nenhum comentário:

Postar um comentário