Menu Suspenso

quarta-feira, 29 de julho de 2015

(Garvey) Um Deus! Uma aspiração! Um destino!

Grandes Personalidades Negras 


Marcus Mosiah Garvey (1887-1940) foi um comunicador, empresário, político e ativista jamaicano, um líder visionário, um Pan-Africanista convicto, que acreditava que, o regresso dos Africanos (afrodescendentes) à África era um fator essencial para o desenvolvimento do continente. Mas, não era todo e qualquer negro que ele chamava para regressar ao continente-mãe. Garvey dizia: "eu não tenho nenhum desejo de levar todas as pessoas negras, de volta para a África, pois, há negros que não são bons elementos aqui (na Inglaterra e EUA), e que portanto, provavelmente, não o serão lá."

Esse grande homem é considerado em todo o mundo como um dos maiores ativistas da história do MOVIMENTO NACIONALISTA NEGRO.  Ele foi identificado, ainda, como o precursor do pan-africanismo messiânico, e do rastafarianismo. Outros dois ativistas importantes para o pan-africanismo foram: W.E. Burghardt Du Bois, considerado pai do pan-africanismo político, e Jean Price-Mars, o precursor do pan-africanismo cultural.

O Pan-Africanismo propunha a união de todos os povos da África. Veja a publicação:" Pan-Africanismo", de 11 de agosto de 2015. O Movimento Messiânico chamado de Rastafarianismo, de origem jamaicana, conclama Haïlé Selassié (imperador da Etiópia, 1930-1974) o Messias Negro, a representação terrena de JAH. Um de seus mais proeminentes seguidores foi Bob Marley. Veja as publicações: "Imperador Haile Selassie (rei dos rastafári)", do dia 21 de agosto de 2015, e "A lendária história da Dinastia salomônica dos Imperadores da Etiópia", do dia 31 de agosto de 2015.

Breve biografia de Marcus Garvey:

Marcus Mosiah Garvey nasceu na Jamaica, e foi o mais novo de 11 filhos, 9 dos quais morreram ainda na infância. Nascido da união de um pedreiro e uma empregada doméstica, ele irá se tornar numa das maiores personalidades de todos os tempos, sendo ainda hoje, homenageado por ativistas de movimentos negros, em todo o mundo.

Garvey desde cedo fora tido como aluno brilhante, que tinha profundo amor aos livros, qualidade que aprendera com o pai. Mas, um acontecimento marcante em sua infância iria desencadear no jovem jamaicano o espírito de ativista em prol dos direitos dos negros. O fato ocorreu quando Marcus era vizinho de uma família branca, que desaprovava a amizade de sua filha de 14 anos, com o jovem rapaz. A menina acabaria sendo enviada para a Inglaterra, onde ficou proibida de escrever cartas ao amigo, que era chamado de nigger (termo pejorativo, usado em países de língua inglesa).

O jovem promissor havia sentido a brutalidade do racismo.

Em 1908, Marcus Garvey teve a sua primeira experiência sindical, numa greve de tipógrafos, que iria culminar com sua demissão. Por não conseguir voltar ao mesmo ramo de trabalho, teve de seguir em outra profissão, que neste caso seria também, a sua primeira experiência como jornalista político.

Em 1910, ele viveu na Costa Rica, onde observou as péssimas condições de trabalho dos negros, nas plantações de banana. Ele acaba viajando pela América Central e do Sul, observando essas mesmas condições, que tornavam a vida destas populações marcadas pela velha escravidão. Da Costa Rica ele acabaria sendo banido, por criticar as autoridades, em suas publicações. 

Em 1912 ele foi para a Inglaterra, onde aprendeu sobre a cultura africana, e sobre as condições dos negros, dos EUA. A experiência em Londres foi muito importante porque permitiu-lhe entender o funcionamento de uma democracia, e permitiu-lhe entrar em contato com vários africanos, de outras colônias britânicas. Foi ainda em Londres que ele entrou em contato com os líderes do Movimento Pan-Africano. 
Ao retornar para a Jamaica, em 1914, Garvey cria a Associação Universal para o Progresso Negro - UNIA (Universal Negro Improvement Association). O lema da UNIA era One God! One Aim! One Destiny! (Um Deus! Uma aspiração! Um destino!)
Bandeira da UNIA


Entre os objetivos da UNIA estavam:

  • A promoção da consciência e unidade da raça negra, da dignidade e do amor;

  • O desenvolvimento da África, livrando-a do domínio colonial, e transformando-a numa potência;

  • O protesto contra o preconceito e a perda dos valores africanos;

  • O estabelecimento de instituições de ensino, para negros, onde se ensinasse a cultura africana (também);

  • A promoção do desenvolvimento comercial e industrial no mundo.

Garvey sonhou em unir todas as pessoas de ascendência africana, do planeta, em uma grande população com país e governo absolutamente próprios. Também, foi fruto das manifestações desse grande líder a Declaração dos Direitos dos Povos Negros do Mundo. Inicialmente a UNIA era ridicularizada na Jamaica, até mesmo por pessoas negras. Como resposta, ele dizia que aqueles que o ridicularizavam eram negros "que não queriam ser reconhecidos como negros, mas, como brancos."

Em 1916, Marcus Garvey foi para os EUA, que era base das operações da UNIA, que alcançou a marca de mais de 1 100 filiais, em mais de 40 países, sendo a maior parte localizadaa nos Estados Unidos.

Em sua passagem pela terra do Tio San, Garvey esteve ligado a muitas publicações, uma das quais teve tiragem em torno de 50.000 exemplares; distribuídas pelo mundo, chegando a todos os continentes.

Em 1927 é Garvey é deportado do EUA.

Entre os magníficos feitos de marcus Garvey, destacamos uma pequena lista, rememorada por Isidro - um pan-africanista (salvo ledo engano, angolano):

  • Marcus Garvey construiu fábricas e roupas feitas nestas mesmas fábricas, e também fez bonecas "pretas, para crianças pretas brincar";
  • Ele construiu um hotel;
  • Construiu uma cadeia de lojas de mantimentos;
  • Sua organização tinha sua própria empresa de camionagem;
  • Ele construiu escolas;
  • Construiu restaurantes;
  • Ele tinha sua própria imprensa;
  • Começou com 3 jornais;
  • Seu principal jornal foi chamado: "o mundo Negro", sendo publicado em inglês, espanhol e francês;
  • Sua organização comprou 3 navios, começando a pratica de comércio internacional.
  • Garvey possuía prédios de escritórios;
  • A sua organização comprou um auditório, em Nova York, chamado Liberty Hall;
  • Em 1922, a organização deste grande líder tinha 6 milhões de membros;
  • Suas empresas tinham mais de 900 filiais, em 40 países diferentes;
  • Ele também, começou seu próprio partido político, com o nome de "The Peoples Political Party";
  • Garvey foi o primeiro líder negro a ensinar as pessoas negras a amar e orgulhar-se de sua herança africana;
  • Kwame Nkrumah tornou-se o primeiro presidente de Gana, e disse que Marcus Garvey era seu herói e sua maior influência;
  • Jomo Kenyatta tornou-se o primeiro presidente do Quênia, ele também disse que Marcus Garvey teve uma grande influência sobre ele;
  • Nnamdi Azikiwe tornou-se o primeiro presidente da Nigéria, ele também achava que Garvey teve uma grande influência sobre sua vida;
  • Julius Nyerere tornou-se o primeiro presidente da Tanzânia, e foi mais um a dizer que ,os ensinamentos de Garvey tiveram grande influência sobre si.
  • Malcolm X (e seus pais) eram membros da organização de Marcus Garvey;
  •  Elijah Muhammad, líder da nação do Islã, dos EUA, elogiou Marcus Garvey;
  • Garvey empregou centenas de pessoas, através de empresas que ele próprio criara.

Este grande líder negro fez tudo isso, sem qualquer ajuda do governo, ou de pessoas brancas; e ele fez todas estas coisas, com apenas o 8º grau de educação. E isso, durante um tempo quando não havia televisor ou computador.

Ao redor do mundo, a memória de Garvey é mantida viva, seja em escolas e faculdades, estradas, e prédios na África, Europa, Caribe e EUA; seja através da UNIA (com sua bandeira das cores vermelha, preto e verde); seja através de monumentos dedicados a ele, como o que figura na sala de heróis da Organização dos Estados Americanos, desde 1980. 

Em junho de 1940 ele sofreu dois derrames e morreu. Seu corpo foi embalsamado e enterrado no Cemitério Kendal Green, Londres. Em novembro de 1964 seus restos mortais foram transladados para a Jamaica, e enterrados no National Heroes Park. Ele foi proclamado o primeiro herói nacional jamaicano.


Fonte:

Wikipédia. Marcus Garvey. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Marcus_Garvey. Acesso em 29 jul. 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário