Menu Suspenso

domingo, 26 de julho de 2015

(1º) Fórum Contra Argumentativo

Estimado leitor desta página! 

Esta seção tem a função precípua, de apresentar os argumentos contrários ao que é exposto no blog. 

Então, você pode participar, enviando-nos suas perguntas ou alegações, através do e-mail:
contato@hebreunegro.com ou hebreunegro144@gmail.com.  

Também pode debater conosco, através da nossa comunidade no Facebook:
https://www.facebook.com/hebreu.negro144?ref=hl  

Pretendemos ler, analisar e postar tudo que for pertinente aos assuntos abordados (que seja relevante/interessante) e sobretudo realista.

Sem você, isso não será possível, pois, sua opinião é nosso termômetro, bússola e mestre.

Podemos construir - de forma integrada - um rool de opiniões, de forma à ampliar nosso conhecimento, a respeito dos assuntos aqui tratados.

Aguardo sua participação, e aqueles que se acharem capazes de refutar as questões expostas, manifestem-se, que farei questão de publicá-las.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
(1) Primeira participação deste fórum: do dia 09 de outubro de 2015, enviado por: Roberto A. Pires, através da nossa comunidade no Facebook, em comentário ao post Ranavalona III..., vejamos o que ele falou, e o que iremos responder:

Roberto Abrantes Pires disse: Hebreus eram brancos: 1 Sm 16,12/1Sm 17.42/ Lm 4.7-8/ Gn 25.24-25/ Ct 5,14/Is 3,24--------------sem falar que nunca vi um Judeu negro em campos de Concentração. Não que eu me importe com a cor mas o que está nas Escrituras é o que vale p/ mim.

Primeiro amigo Roberto, obrigada por participar deste debate, apesar de saber que seu argumento pareceu-me, pelo menos em parte, falho, e você nem leu as postagens que podiam refutar seu argumento, mas, irei dar um pequeno exemplo, de elementos que derrubam o que você falou. Espero retornar em breve, com mais explicações, e havendo a participação de outras pessoas, voltarei e postarei aqui, ok?

a) Você viu a postagem do dia 08 de agosto de 2015, com o título: "O rei Davi NÃO era Branco"?

1 Samuel 16:12. Então mandou chamá-lo e fê-lo entrar (Davi foi chamado, e e era ruivo e formoso de semblante e de boa presença); e disse o Senhor: Levanta-te, e unge-o, porque é este mesmo.

Veja:

No texto, em hebraico, a palavra que descreve Davi é (ADMONI), que significa: avermelhado. Dessa palavra vem Adão/Adam: “homem formado da terra”. No hebraico significa: Terra, argila vermelha, o homem criado da terra, do barro".

Lembra de Esaú, irmão de Jacó? Ele foi apelidado de Edom, que significa “VERMELHO”, em HEBRAICO.
Lembra de Labão, tio de Esaú? Em gênesis (24:29) está escrito: " e Rebeca tinha um irmão, cujo nome era Labão...

Veja que, a palavra utilizada para descrever pele branca, no hebraico, não é Adam, e sim: LABAN. A Torá e a bíblia, só descrevem os israelitas se tornando brancos (Laban), quando fazia referência aos leprosos.

Esaú era chamado de Edom (vermelho)
Labão era tio de Esaú.
Labão significa branco.
Edom significa vermelho.

Por que Esaú era chamado de vermelho (da cor de mogno, cor de barro, avermelhado), se ele era sobrinho de Labão, que teoricamente era branco?

b) Os egípcios da antiguidade eram como Esaú e Davi, isto é, negros (morenos, avermelhados, cor de mogno), veja a postagem do dia: 23 de julho de 2015, com o título: "(02) Israel e Egito, alguma semelhança física?" e veja também, a postagem do dia 23 de julho, com o título: "(01) O Egípcios da antiguidade eram negros, e isso pode provar que Jesus Cristo também era".

O historiador e egiptólogo Cheikh Anta Diop provou que, os antigos egípcios eram negros. Exemplo:a maioria dos esqueletos e crânios, dos antigos egípcios, indicam, claramente, que eles eram pessoas negroides, com características muito semelhantes às dos modernos núbios negros, e outras pessoas do Nilo Superior, e da África Oriental. Diop realizou o teste de melanina, em múmias egípcias, do Museu do Homem, em Paris, e constatou que, os níveis encontrados na derme e epiderme, de uma pequena amostra, era suficiente para classificar os egípcios antigos, como um povo de raça negra, etc.

Karl Richard Lepsius distinguiu as proporções corporais de vários grupos raciais, categorizando o 'ideal egípcio' como: "curto e armado, do tipo físico negroide ou negrito". Diop observou que, "os egípcios tinham apenas um termo para designar a si próprios: os KMT, que significa: negros, literalmente’

Gerald Massey, escritor inglês, confirmou que, os egípcios antigos eram negros: "a dignidade é tão antiga que, a insígnia dos Pharaós pertence, evidentemente, à época em que os egípcios nada mais eram que a cinta dos negros" 

Em 1883, Sir Richard Burton, escritor, linguista e explorador inglês, escreveu: “você está certíssimo, sobre a ‘origem africana’, dos egípcios. Eu tenho 100 crânios humanos, para prová-lo... em sua complexidade, e em muitas das peculiaridades físicas, os egípcios eram uma raça AFRICANA”. 

O antigo historiador Grego, Heródoto, que visitou o Kemet (Egito), no século V (A.C), esteve com os egípcios, e os descreveu como: “negros de pele não tão escura, quanto à dos Núbios / Etíopes, e de cabelos lanosos (CRESPOS)”.

O Antropólogo, filósofo, abolicionista, historiador, orientalista e político francês, Conde de Volney, de nome Constatin (1727-1820), falou sobre a raça dos egípcios, que produziu os Faraós: 
“Os antigos egípcios eram negros verdadeiros, do mesmo tipo que todos os africanos nativos, sendo assim, podemos ver como o seu sangue [foi] misturado, durante vários séculos, com o sangue dos romanos e gregos, [o que fez] perdido a intensidade de sua cor original, mantendo, no entanto, seus traços originais".

E, lembre-se disto: usar o argumento de que, os atuais egípcios não são negros, é pura falácia, pois, várias invasões ocorreram ao longo da história, naquela região, e os achados arqueológicos não deixam dúvidas, os egípcios eram negros; até mesmo exames de sangue de egípcios modernos provam a teria.

Massey (1881) disse que, o nome África deriva do egípcio af-rui-ka, que significa: "para virar em direção à abertura do Ka. "O Ka é o dobro energético de cada pessoa, e da 'abertura do Ka' remete-se ao útero ou berço. África seria para os egípcios 'o berço'."

Lembra de José filho de Jacó?

Houve seca e fome na terra...vendo então, Jacó, que havia mantimento no Egito, disse a seus filhos (aos 11 filhos, porque para Jacó, o seu filho amado - José - havia morrido, por uma fatalidade...): “Por que estais olhando uns para os outros?  Eis que tenho ouvido que há mantimentos no Egito; descei para lá, e comprai-nos dali, para que vivamos e não morramos” (Gênese 42:01 e 02).


E o que eles fizeram? Desceram ao Egito, que já estava sendo governando por José (leia a história na íntegra, na bíblia). Não perca o fio da meada.

O interessante é que, os irmãos de José chegaram e inclinaram-se perante ele, isto é, foram reverentes, face à presença do próprio irmão (José estava governando o Egito)... eles colocaram o rosto em terra (Gênese 42:06), e não o reconheceram...Não reconheceram o próprio irmão. Até aqui tudo bem, afinal, muitos anos sem vê-lo. Mas, pense bem! Se José fosse branco, como poderiam tê-lo confundido com um governador egípcio? Os egípcios eram negros, vermelhos...

Em Gênesis 50 :7-11 vemos que, José subiu para sepultar a seu pai (Jacó); e subiram com ele, todos os servos de Faraó, os anciãos da sua casa, e todos os anciãos da terra do Egito, e também, toda a casa de José, e seus irmãos, e a casa de seu pai...o cortejo foi grandíssimo. Chegando eles, pois, à eira de Atade, que está além do Jordão, fizeram um grande e dolorido pranto; uma grande lamentação, por sete dias. E vendo os moradores da terra, os cananeus, o luto na eira de Atade, disseram: É este o pranto grande dos egípcios. Por isso, chamou-se lhe Abel-Mizraim, que significa: "Prado do Egito” ou “Luto dos Egípcios”. Gên. 50 :11.

Note: os moradores da terra (os cananeus) confundiram os israelitas, com os egípcios. Os cananeus disseram: "é este o pranto grande dos egípcios".

Mas, os cananeus estavam familiarizados com os israelitas, entretanto, confundiram-se, achando que todos eram egípcios. Repito: Confundiram os israelitas com os egípcios. Por que? Porque eles eram iguais, egípcios e israelitas eram negros. 

O Apóstolo Paulo também foi confundido como egípcio. Veja em Atos 21:37-39. O tribuno ficou surpreso, quando ouviu Paulo falar com ele, em grego, e perguntou à Paulo: "Não és tu porventura O EGÍPCIO? Isso está na postagem do dia 26 de julho de 2015, com o título: "O Apóstolo Paulo era Negro".

Lembra de Moisés?

Sobre o faraó Seti (I), avô adotivo de Moisés. ATENÇÃO! Lembre-se que, o avô de Moisés (Seti) não sabia que seu neto era hebreu. Seti não sabia que Moisés era uma criança israelita, porque se soubesse, a criança sequer teria chegado ao palácio do faraó,  pois, por decreto do próprio faraó, todo recém nascido hebreu, do sexo masculino, deveria ser exterminado. Então, Moisés não poderia ter pele branca, caso contrário teria sido identificado como israelita...

Segundo o autor inglês, George Rawlinson: “o Rosto de SETI era completamente AFRICANO. Ele tinha um rosto tempestuoso, com um nariz chato, lábios grossos e queixo pesado”.


Em Amós 9:7 - Deus compara os filhos de Israel com Cuxe (etíopes), o filho primogênito de Cam. E o relato bíblico traz o seguinte: "Não sois vós para mim, ó filhos de Israel, como os filhos dos etíopes?..." Os etíopes sempre foram um povo de pele negra, o próprio termo Etiópia é derivado da palavra grega AETHIOPS, que significa: "rosto queimado"; então, não haveria sentido comparar um povo de pele branca, com os etíopes, não acha?

Em Lamentações 5:10 é dito: "Nossa pele era negra, como um forno, por causa da terrível fome". Quando os judeus estavam nos campos de concentração, passando fome, as fotos mostram que eles ficavam mais brancos ainda, isto é, pálidos, e não mais escuros. Mas, se você observar na África, quando há fome, os africanos escurecem ainda mais o tom original de sua pele, ficando do tom do azeviche.

Em Jó 30:30, também diz : "Enegrecida se me cai a pele". Recomendo que você leia a postagem: "Tudo começou na Babilônia", do dia 01 de setembro de 2015, lá você encontra algumas explicações relevantes.

Lembra de Abraão? o primeiro Hebreu (o caminhante), ele era de Ur dos Caldeus. Ver: Gênesis 14:13. Os caldeus eram - originalmente - negros. O pai de Abrão - Tera - era um parente de Ninrode. Sabemos que, Nimrod era filho de Cuxe. Cuxe era o progenitor dos Núbios\Etíopes, e os núbios eram um povo de pele negra. Isso significa que, Ninrode também era negro. Saiba que, naquela parte do mundo, a temperatura média varia entre 45 e 48 graus. Então, eles precisariam de ter uma grande quantidade de melanina, para sobreviverem, você não acha? E isso significa que, eles eram muito escuros, assim como cremos que, Abrão também era. Veja: a raiz da palavra Ur é ORR e significa FOGO ARDENTE. É  sabido que, a temperatura averiguada naquela região, varia entre  45° e 48 °C. Esta é a parte do mundo, onde a civilização suméria teve inicio. Os sumérios se autodenominam "SAGGING", que traduzido é: "os de cabeça negra", isso porque, eles raspavam a cabeça. E os antigos Caldeus eram seus primos". Para maiores detalhamentos, acesse o site: http://opovodoeterno.com.br/.

Sobre o Roberto dizer que  nunca viu um Judeu negro em campos de Concentração. Veja a postagem do dia 26 de julho de 2015, com o título de: "(05) A 13ª tribo, falsos israelitas, Khazares, Ashkenazi, Edomitas..." e veja também a postagem do dia 30 de agosto de 2015, com o título: "O Livro que demoliu o mito (Título: O povo judeu foi inventado)". E postamos também, isto: " As vítimas 'negras' do holocausto", no dia 25 de setembro de 2015.

E digo mais, veja que, Daniel, Ezequiel e João (da bíblia) tiveram uma visão, qual foi mesmo? veja na postagem do dia 26 de agosto de 2015, com o título de: "Daniel, Ezequiel e João, quem eles viram?"

O historiador judeu Flavius Joseph escreveu sobre os ancestrais do povo africano: "Ophren, o neto de Abraão, através de Quetura, liderou uma expedição militar contra a Líbia, e capturou-a, desde então, os seus descendentes colonizaram aquela região, e em sua homenagem deram àquele lugar o nome de África, que é derivado do nome (Afer; Ophren)."

O Roberto citou ainda -  Isaías 03: 24 - que diz, e em lugar de encrespadura de cabelos, calvície...(CABELOS CRESPOS, NOTOU?).

Ele citou também o livro de Cânticos, mas, veja o que encontramos lá:

Cânticos 05:11: a sua cabeça é como o ouro mais apurado, os seus cabelos são crespos, pretos como o corvo.
 
Cânticos 01:05: Eu sou negra, e formosa, ó filhas de Jerusalém, como as tendas de Quedar, como as cortinas de Salomão.

Note que, em algumas traduções (Ferreira de Almeida), a palavra utilizada nestes versos é morena, mas, na tradução correta (King James), encontramos que, a jovem israelita fala de si mesma como negra, igual às cortinas de Salomão, e sabemos que uma cortina pode ser preta ou negra, mas, nunca poderá ser morena.
 

Nestes versos de cânticos (bíblia), a jovem israelita diz: "eu sou negra como as tendas de Quedar".

Veja a postagem do dia 26 de agosto, com o título de: "Sansão, o primeiro rastafári!"

O Roberto citou ainda, Lamentações...Os seus nobres eram mais puros do que a neve, mais brancos do que o leite...

Você sabe que a cultura ocidental tem o preto como impuro, tem conotação negativa, já o  branco tem conotação positiva, de pureza, limpo, honesto...

 

Então Roberto, você tem algum outro argumento para nos enviar? Você entendeu o que explicamos aqui?

Aloha ! Namaskar! Shalom! Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário